LEV-ROXO (1)

Vacinação na população idosa

Captura de tela 2024-05-07 102451

Marina Piquet

05 maio |

Compartilhe:

A vacinação é uma das ferramentas mais eficazes para prevenir doenças e proteger a saúde da população. Merecendo especial atenção aos idosos, pois podem ser mais suscetíveis a complicações de doenças infecciosas. As principais vacinas recomendadas para idosos atualmente, são:

Influenza (Gripe):
Além de prevenir a gripe, a vacinação tem como objetivo principal a redução no risco de complicações graves, como pneumonia, que podem ser fatais em idosos. Esta vacina é composta por fragmentos virais, inativos, portanto ela é segura e não causa a gripe!  A vacina contra a gripe deve ser feita anualmente, pois ela é atualizada continuamente com as cepas virais mais prevalentes no ano anterior.

Pneumocócica:
A vacina pneumocócica protege contra infecções causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, responsável por pneumonia bacteriana, meningite e outras condições respiratórias. Existem diferentes tipos de vacinas pneumocócicas, sendo a Pneumo 13 e Pneumo 23, a primeira disponível apenas em redes privadas.

Herpes Zóster:
A vacina contra o herpes zóster é recomendada para prevenir essa infecção viral que pode causar um quadro chamado neuralgia pós herpética, gerando dores intensas e complicações mais graves. Existem dois tipos de vacina – a vacina Zoster recombinante (RZV) e a Zoster viva atenuada (ZVA). Ambas estão disponíveis apenas no sistema privado, mas é uma forma eficaz de reduzir o risco de desenvolver a doença e suas potenciais complicações, vale o investimento!

Hepatite B:
Embora a hepatite B seja mais comum em pessoas mais jovens, a vacinação ainda é crucial para idosos, especialmente aqueles com fatores de risco. A hepatite B pode levar a problemas hepáticos graves, e a vacina é uma maneira eficaz de prevenir a infecção. Esta vacina é feita em 3 doses, com intervalo de 1 e 6 meses entre elas. Está disponível gratuitamente pelo SUS.

Trípice bacteriana (dTpa)
Conhecida pela proteção contra tétano, também protge contra difteria e a coqueluche. Embora as infecções por tétano sejam raras, ainda não tem cura. Então é crucial que os idosos mantenham suas doses de reforço atualizadas, geralmente a cada 10 anos, para fortalecer a defesa contra a entrada da bactéria em caso de ferimentos.

Febre Amarel
Anteriomente indicada apenas a viajantes de áreas endêmicas, atualmente é indicada para nossa população.  Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações, sugere-se reforço em 10 anos. É contraindicada apenas se imunossupressão severa e alergia a componentes da vacina.

Covid-19
A imunização foi uma medida crucial para redução hospitalizações e óbitos relacionados à doença entre os idosos. Com a disponibilidade de diferentes vacinas, é indicado um esquema com duas doses de vacina, com reforço sendo feito com imunizante bivalente após 4 meses da última dose, encerrando o esquema de vacinação atual.

A vacinação na população idosa é uma medida essencial para garantir a qualidade de vida e a longevidade. Ao receber as vacinas adequadas, os idosos podem reduzir significativamente o risco de doenças infecciosas e suas complicações. Consulte seu médico regularmente e converse sobre suas vacinas! Prevenir é sempre um caminho mais LEVE.

Veja também

Estar preparado para os imprevistos durante a aposentadoria é crucial para garantir segurança fin...

Construindo uma rede de segurança financeira

06 jun |

Envelhecer é um processo natural da vida, repleto de mudanças e desafios que podem afetar diverso...

A importância do Prazer na Vida da Pessoa Idosa

05 maio |

A fisioterapia domiciliar, como o próprio nome sugere, é um serviço de fisioterapia prestado dire...

Fisioterapia domiciliar para idosos

05 maio |