LEV-ROXO (1)

Cuidados paliativos

08 DEZ _ CuidadosPaliativos

Dra. Barbara Cury

12 dez |

5 min

Compartilhe:

Durante muito tempo, os cuidados paliativos sempre foram associados ao tratamento oncológico.

Hoje, eles englobam qualquer tipo de doença grave, progressiva e que ameaça a continuidade de sua vida. Entretanto, é preciso deixar claro que os cuidados paliativos visam promover a qualidade de vida dos pacientes por meio de prevenção e alívio do sofrimento causado pela doença. Dessa forma, é deixando de lado a ideia de que eles só devem ser indicados quando não existe mais a possibilidade de tratamento e o paciente estiver em condição terminal.

Alguns dos seus princípios, incluem:
– Promover o alívio da dor e de outros sintomas.
– Melhorar a qualidade de vida e influenciar positivamente o dia a dia do paciente e seus familiares.
– Integrar os aspectos psicológicos e espirituais no cuidado ao paciente.
– Oferecer um suporte que possibilite ao paciente viver o mais ativamente possível.

É importante enfatizar que os Cuidados Paliativos englobam um cuidado multidisciplinar e quanto mais alinhada a equipe, melhores são os resultados para o paciente e os familiares.

Cerca de 40 milhões de pessoas necessitam de cuidados paliativos, mas somente 10% delas efetivamente recebem esse cuidado.

Por isso, falar sobre cuidados paliativos é importante porque ajuda as pessoas que estão com doenças graves, crônicas ou terminais a terem uma vida melhor.

Melhora da qualidade de vida: os cuidados paliativos visam aliviar o sofrimento físico, emocional, espiritual e psicossocial dos pacientes.

Abordagem centrada no paciente: os cuidados paliativos valorizam a individualidade e as preferências do paciente.

Suporte aos familiares: os cuidados paliativos também fornecem apoio emocional e prático aos familiares do paciente.

Continuidade dos cuidados: os cuidados paliativos não são restritos a um único local ou estágio da doença. Eles podem ser oferecidos em hospitais, clínicas, instituições de longa permanência ou no ambiente familiar, e podem ser integrados a outros tratamentos médicos.

Promoção de discussões sobre morte e morrer: falar sobre cuidados paliativos também envolve discutir abertamente a morte e a finitude da vida.

“Cuidado Paliativo não é uma alternativa de tratamento, e sim uma parte complementar e vital de todo acompanhamento do paciente.” — Cicely Saunders.

Veja também

Estar preparado para os imprevistos durante a aposentadoria é crucial para garantir segurança fin...

Construindo uma rede de segurança financeira

06 jun |

Envelhecer é um processo natural da vida, repleto de mudanças e desafios que podem afetar diverso...

A importância do Prazer na Vida da Pessoa Idosa

05 maio |

A fisioterapia domiciliar, como o próprio nome sugere, é um serviço de fisioterapia prestado dire...

Fisioterapia domiciliar para idosos

05 maio |