LEV-ROXO (1)

Como prevenir a perda óssea

Juliana Chaer.jpg

Juliana Chaer

01 jan |

Compartilhe:

A osteoporose é uma doença comum caracterizada por baixa massa óssea, ruptura da microarquitetura e fragilidade esquelética, resultando em um risco aumentado de fratura por fragilidade.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define osteoporose com base na densitometria óssea (DMO) por absorciometria de raios X de dupla energia (DXA). A osteoporose é assintomática, a menos que ocorra uma fratura.

Um diagnóstico clínico de osteoporose pode ser feito na presença de uma fratura por fragilidade, particularmente na coluna, quadril, punho, úmero, costela e pelve, sem medição da densidade mineral óssea (DMO).

Fraturas por fragilidade são aquelas que ocorrem devido a uma queda da própria altura ou menos, sem trauma grave, como um acidente automobilístico. Fraturas em alguns locais do esqueleto, incluindo crânio, coluna cervical, mãos e pés, não são consideradas fraturas por fragilidade. As fraturas por estresse também não são consideradas fraturas por fragilidade, pois são devidas a lesões repetitivas, muitas vezes em indivíduos com ossos saudáveis.

A estabilização da densidade mineral óssea (DMO) ou a redução da taxa de perda óssea é o objetivo principal na prevenção da osteoporose, uma vez atingido o pico de massa óssea. É recomendada uma abordagem em pirâmide para a prevenção e tratamento da osteoporose com base em mudanças no estilo de vida que incluem nutrição, atividade física e prevenção de quedas; um segundo nível de tratamento de medicamentos e doenças associadas à perda óssea ou à osteoporose; e um terceiro nível de terapia farmacológica – quando indicada.

A perda óssea relacionada à idade começa logo após o pico de massa óssea em ambos os sexos. Em mulheres normais, as taxas anuais de perda de DMO parecem ser mais altas durante o ano anterior até dois anos após o último período menstrual. A perda óssea relacionada à idade em mulheres e homens mais velhos é de aproximadamente 0,5 a 1,0 por cento ao ano.

Os fatores que influenciam a taxa e a magnitude da perda óssea incluem doenças concomitantes, concentrações hormonais, idade, peso corporal, ingestão de cálcio e vitamina D, atividade física, histórico familiar, consumo de álcool e tabagismo.

Estratégias para prevenção:
Ingestão de Cálcio Adequada: O cálcio é um mineral essencial para a saúde óssea. Ossos saudáveis contêm cerca de 99% do cálcio presente no corpo. Para garantir uma ingestão adequada de cálcio, é importante incluir alimentos como leite, queijo, iogurte, vegetais de folhas verdes, tofu e peixes na alimentação.

Vitamina D e Exposição Solar: A vitamina D desempenha um papel vital na absorção do cálcio. A principal fonte de vitamina D é a exposição à luz solar. Passar algum tempo ao ar livre, especialmente durante os meses mais ensolarados, é uma maneira eficaz de estimular a produção de vitamina D na pele. Alimentos ricos em vitamina D, como peixes gordurosos e gema de ovo suplementos, também podem ser incorporados à dieta.

Atividade física regular: A prática regular de exercícios físicos, especialmente aqueles que envolvem sustentação de peso, ajuda a fortalecer os ossos e a aumentar a densidade óssea. Atividades como caminhada, corrida, musculação e dança são ótimas escolhas. O exercício não apenas melhora a saúde óssea, mas também fortalece os músculos e a coordenação, reduzindo o risco de quedas e fraturas.

Eliminação de Fatores de Risco: Hábitos prejudiciais à saúde óssea devem ser evitados. Isso inclui o consumo excessivo de álcool e cafeína, que podem afetar a absorção de cálcio. O tabagismo é outro fator de risco, e deve ser cessado. Além disso, o consumo em excesso de refrigerantes à base de cola, que contêm ácido fosfórico, pode ser prejudicial.

Manutenção de Peso Saudável: Manter um peso corporal saudável é fundamental para a saúde óssea. Tanto a obesidade quanto o baixo peso podem aumentar o risco de osteoporose.

Consultas Médicas Regulares: Exames de avaliação da densidade óssea são uma ferramenta valiosa. Para indivíduos em grupos de risco, como mulheres na pós-menopausa ou pessoas idosas, é fundamental ter acompanhamento médico regular com atenção especial à saúde óssea. A detecção precoce da osteoporose pode permitir a implementação de medidas de prevenção e tratamento adequadas, com grande impacto na qualidade de vida.

A prevenção da osteoporose é um esforço contínuo que deve ser mantido ao longo de toda a vida. A adoção de uma dieta equilibrada, a prática regular de exercícios, a exposição solar apropriada e a eliminação de fatores de risco são alicerces fundamentais para a manutenção da saúde óssea. Com o devido cuidado, é possível reduzir significativamente o risco de osteoporose e viver uma vida ativa e saudável. Consultar um profissional é indispensável para obter orientações específicas e personalizadas em relação à prevenção e cuidados relacionados a saúde.

Veja também

Estar preparado para os imprevistos durante a aposentadoria é crucial para garantir segurança fin...

Construindo uma rede de segurança financeira

06 jun |

Envelhecer é um processo natural da vida, repleto de mudanças e desafios que podem afetar diverso...

A importância do Prazer na Vida da Pessoa Idosa

05 maio |

A fisioterapia domiciliar, como o próprio nome sugere, é um serviço de fisioterapia prestado dire...

Fisioterapia domiciliar para idosos

05 maio |